Gestalt-terapia?

Em pouquíssimas palavras poderíamos afirmar que a Gestalt-terapia surgiu como uma das muitas perspectivas utilizadas em psicoterapia que propunham um novo modelo clínico. A sua compreensão, porém, ampliou-se com o passar do tempo e hoje é possível pensá-la como uma abordagem psicológica para além da clínica tradicional, sendo utilizada em organizações, em espaços de saúde e jurídicos, em escolas e onde quer que haja profissionais que atuem com seu referencial teórico.  

Esta proposta teórica surgiu em meados do século XX nos Estados Unidos através de um grupo composto por médicos, psicólogos e teóricos outros que buscavam uma nova forma de pensar e fazer o trabalho psicoterapêutico. Entre os fundadores há um destaque a Fritz Perls. Nas palavras dele:

"Na Gestalt-terapia trabalhamos por algo mais. Estamos aqui para promover o processo de crescimento e desenvolver potencial humano. Nós não falamos de alegria instantânea, de consciência sensorial instantânea, de cura instantânea. O processo de crescimento é demorado. (...) Crescer leva tempo." [Fritz Perls em "Gestalt-terapia explicada" (1969)]

Para a Gestalt-terapia o ser humano é reconhecido como um processo de vir-a-ser, estando constantemente se (des)construindo e (res)significando sua existência. É com este referencial que desenvolvo o meu trabalho enquanto psicólogo clínico e enquanto pesquisador.

A página Literatura Gestáltica reúne trabalhos nesta perspectiva. Deixo o meu convite para que você conheça um pouco mais da teoria a partir destas produções ou, caso seja seu interesse buscar atendimento psicológico nesta linha, meu contato profissional.

Psicólogo
CRP-08/20085